Clima em Camboriú (SC) é de paralisação dos hotéis por falta de aumento digno

Nesta segunda-feira. mais uma rodada de negociação se efetiva entre o Sechobar-sindicato e os empresários ligados ao Sindisol para que sejam atualizados os salários dos empregados em hotéis, bares e restaurantes de Camboriú (SC). 
A presidente do sindicato profissional, Olga Ferreira, neste final de semana fez forte mobilização junto à categoria, com entrega de panfletos e narrando a intransigência patronal que insiste em querer dar apenas a correção do INPC. “É um absurdo total, inaceitável”, observa. 
O sentimento na classe é de eventual paralisação caso os empresários continuem irredutíveis. A data-base é 1° de outubro.

Como sempre,  o Sechobar inova ao propor um terceiro piso, como forma de cada vez mais de ter mão de obra mais qualificada exigida pela indústria do turismo : a) R$ 1.100,00 – da data da contratação até o período máximo de 90 dias; b) R$ 1.300,00 – após o período de 90 dias de contratação; c) R$ 1.500,00 – será pago aos trabalhadores que atingirem as seguintes condições: 
1º – Exerça a função de garçom, cozinheira, recepcionista ou camareira; 
2º – Tenha mais de seis meses de contratação; 
3º – Tenha o segundo grau ou equivalente completo; 
4º – Tenha cursado e completado curso profissionalizante relativo à categoria econômica ministrado pelo Sechobar, Sindisol, Univali e Sistema “S”. 
5º – Cursos de Inglês e/ou outras línguas.
Na proposta aos empresários, há outras vantagens acessórias, como a licença maternidade de 180 dias, direito que se fortifica nas decições do Tribunal Superior do Trabalho.
Compartilhe este post em

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *