Empresa cria “licença menstruação” para funcionárias

Uma empresa britânica criou uma “licença menstruação”. A ideia é tornar esse período menos sofrido para as funcionárias. “Estamos começando a explorar como valorizar nossos ciclos naturais – melhorando o bem-estar, diminuindo o estresse, aumentando a produtividade e a felicidade no trabalho”, diz um post da Coexist no Facebook.

A Coexist existe desde 2008 e gerencia espaços de trabalho colaborativos. A maior parte de seus funcionários são mulheres: de um total de 24, apenas sete são homens. Bex Baxter, diretora, afirmou ao jornal The Telegraph que como um gerente de equipe, já viu mulheres sofrendo no período da menstruação. “Elas se sentem culpadas e com vergonha se precisam deixar o trabalho por causa disso. Sentam em suas mesas em silêncio sem querer admitir o que está acontecendo”, disse.

Segundo Bex, muitas empresas são dominadas por homens e encorajam longas jornadas de trabalho, mas há um conceito errado de que tirar uma folga torna o negócio improdutivo. Ela, ao contrário, acredita que a nova política vai aumentar a produtividade e espera que outras empresas sigam seu exemplo. A diretora afirma que imediatamente após o período menstrual as mulheres podem ser até três vezes mais produtivas.

A política foi criada como parte de um seminário que acontecerá no dia 15 de março sobre como o período menstrual pode ser encarado no trabalho. A palestrante será Alexandra Pope, uma coach e educadora que explora a influência física e psicológica dos ciclos menstruais da menarca [primeira menstruação] à menopausa. “Quando uma mulher está consciente da dinâmica do seu ciclo e trabalha isso, ela tem meios mais eficientes de gerenciar sua energia e seu tempo para melhorar seu bem-estar, sua criatividade e produtividade no trabalho”, diz a descrição do evento.

Compartilhe este post em

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *