Portaria do INSS regulamenta prorrogação de salário-maternidade em caso de internação

A Portaria Conjunta nº 28 do INSS, publicada no último dia 19 de março, regulamentou o que ficou decidido pelo Supremo Tribunal Federal em decisão liminar na Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) Nº 6.327.

Segundo o julgamento, o salário-maternidade pode ser prorrogado para além dos 120 dias regulares, nos casos em que houver complicações médicas envolvendo a mãe ou o filho recém-nascido, com necessidade de internação hospitalar.

Nesse sentido, caso a internação seja superior a 30 dias, a mãe precisará pedir a prorrogação a cada 30 dias.

Caso a segurada falecer, o benefício é pago ao cônjuge ou companheiro, desde que esse que tenha a qualidade de segurado. Por outro lado, no caso do falecimento do filho ou de seu abandono, o benefício não é pago.

 

O Benefício

O salário-maternidade é um auxílio do INSS, pago a mães que se afastam do trabalho por conta do parto, adoção ou aborto não criminoso.

Confira nosso vídeo no youtube sobre o benefício:

Confira mais conteúdos sobre o SALÁRIO-MATERNIDADE:

Estou desempregada: posso pedir salário-maternidade?

Posso receber mais de um salário-maternidade ao mesmo tempo?

Contribuí para o INSS após o início da gravidez: posso pedir salário-maternidade?

Quer se manter informado com as principais notícias no mundo do direito previdenciário? Então, não deixe de acessar o site do Previdenciarista!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial